Porto Alegre,
 
        
 
       
Agenda
Artigos
Assembleia Legislativa
Canoas
Famurs
Federasul
Governo do Estado
OAB
Prefeituras
 



 
  
 
 
02/03/2019

Dando  prosseguimento aos debates da Semana Mundial da Amamentação 2019, a Secretaria da Saúde (SES) promoveu a 3ª Jornada de Aleitamento Materno na última sexta-feira (2/8), no teatro da Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs), em Porto Alegre. O público era composto de profissionais da saúde de diversas áreas, como médicos, nutricionistas, fonoaudiólogos e psicólogos envolvidos com o tema.

Na solenidade de abertura, a diretora do Departamento de Ações em Saúde da SES, Ana Costa, disse que a sociedade se desenvolveu tecnologicamente, mas que aprendizados simples, que eram comuns em épocas passadas e ensinadas pelas avós, como a amamentação, foram esquecidos. Ela defendeu a amamentação como primeira ação de vínculo familiar, tão importante no contexto social, e como prevenção do uso de drogas mais tarde, durante a adolescência. Ana citou ainda pesquisas que apontam que as brasileiras amamentam, em média, apenas por quatro meses – dois meses a menos que o mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O médico psiquiatra Giovani Zwetsch Gheno, do Hospital Fêmina, abriu o evento com a palestra “Aspecto emocional da amamentação: a importância da empatia”. Gheno afirmou que a amamentação é muito mais do que apenas seu aspecto biológico. “O lado emocional é essencial para que aconteça a amamentação”, disse. O médico falou que a maternidade começa bem antes da gestação, faz parte de todo o ciclo vital da mulher e da constituição feminina.

Gheno também explicou a importância da relação mãe-bebê para a formação da personalidade, sendo a base afetiva do ser. “Este é o momento em que o bebê está aprendendo a ser um ser humano, a ser quem ele é. A relação entre mãe e filho forma um protótipo para todas as relações posteriores daquela criança e norteia o seu desenvolvimento emocional”, completa.

A amamentação, diz Gheno, é um momento de extrema intensidade emocional para mãe e bebê. “É evidente que a mulher não vai ter uma boa amamentação sem ajuda da família”, acrescenta. O psiquiatra concluiu falando sobre o papel dos profissionais de saúde nesses momentos, não impondo uma regra e sabendo que cada pessoa é um ser único, que merece ser escutado nas suas necessidades. “A singularidade das pessoas não está escrita em nenhum livro”, afirma.

No restante do dia, a programação do evento teve palestra sobre o papel do aleitamento materno na prevenção de apneia na criança e no adulto, mesa-redonda sobre a escuta no apoio ao aleitamento materno e apresentação do Coral Encanto, do Sindicato dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas do Rio Grande do Sul (Sinape/RS).

Iluminação dourada

Durante a próxima semana, em referência à Semana Mundial da Amamentação, os estádios Beira-Rio e Arena do Grêmio, assim como o Theatro São Pedro e o Palácio Piratini, em Porto Alegre, projetarão uma iluminação dourada. O objetivo é lembrar a população do Agosto Dourado, alusivo às discussões sobre amamentação.

Texto: Marília Bissigo/Ascom SES Foto: Marília Bissigo/SES

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine