Porto Alegre,
 
        
 
       
Agenda
Artigos
Assembleia Legislativa
Canoas
Famurs
Federasul
Governo do Estado
OAB
Prefeituras
 



 
  
 
 
28/05/2019

 

O município de Canoas vem se destacando pelo alto investimento em segurança pública e pela redução constante de todos os índices de criminalidade. Além das ações de combate ao crime, como as Operações Integradas, a Prefeitura busca atuar, principalmente, na prevenção da criminalidade. Na última semana, foi criada a Câmara Técnica de Prevenção à Violência nas Escolas, que tem o objetivo de unir esforços dos diferentes órgãos de segurança pública para potencializar as iniciativas de combate ao crime.

A ação conta com a participação da Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe, Guarda Municipal e das secretarias da Educação (SME) e da Segurança Pública e Cidadania (SMSPC). A vice-prefeita, Gisele Uequed, explica que a Câmara Técnica foi criada para evitar a fragmentação e a sobreposição de atividades voltadas à prevenção à violência nas escolas. “Com a iniciativa será possível direcionar cada programa, gerenciando as políticas voltadas a cada escola, o que também nos permite efetuar o monitoramento dos resultados das ações. Trabalhar na prevenção é essencial para termos uma Canoas mais segura para todos”, salienta Gisele.

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, ressalta a importância da iniciativa: “Sabemos da relevância que esses programas têm para nossos jovens, por isso, a ideia é trabalhar de forma integrada. O primeiro objetivo é evitar a evasão escolar, ou seja, é fazer com que esse jovem permaneça na sala de aula, pois, identificamos que estar fora da escola é um dos fatores para a entrada no mundo do crime”.

Entre os programas já existentes no município estão o PROERD, da Brigada Militar; o Papo de Responsa, da Polícia Civil; Caminho a Escolher, da Susepe; os programas Cuidando Trajetórias e Todo Jovem Importa, que envolvem diferentes secretarias municipais; o teatro de fantoches e o Recreio Animado da Guarda Municipal. O secretário de Segurança, Alberto Rocha, afirma que os diferentes programas trabalham, além da conscientização sobre o mundo do crime, temas como bullying, drogas, suicídio, violência doméstica, homofobia, entre outros.

Das 44 escolas, apenas seis recebiam projetos de prevenção à criminalidade em 2016. Na atual gestão, esse número passou para 14. “Agora, o objetivo é atuar em todas elas com foco no combate à evasão escolar. A Câmara Técnica vai agir em todas as escolas de forma direcionada ao perfil de cada instituição”, finaliza Alberto.

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine