Porto Alegre,
 
        
 
       
Artigos
Assembleia Legislativa
CANOAS
Famurs
FECOMÉRCIO
Governo do Estado
GRAVATAÍ
OAB
SIMERS
SISTEMA OCERGS/SESCOOP
VENÂNCIO AIRES
 



 
  
 
 
04/06/2021

Em  meio à iminente crise hídrica no Brasil e aos aumentos exorbitantes nas contas de energia elétrica e diante das discussões da Semana do Meio Ambiente, um modelo de sucesso quando se fala em sustentabilidade completa um ano de atividades em Porto Alegre. A nova sede do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac vem conseguindo importantes marcas tanto na economia de água, quanto de energia elétrica, além de promover o desenvolvimento do bairro Anchieta, na zona norte da capital. Em breve, o prédio deve conquistar a sua segunda Certificação Aqua, um dos mais importantes selos verdes quando se fala em sustentabilidade.

Placas fotovoltaicas e automação podem gerar economia de energia elétrica de 25% a 30% em relação a métodos tradicionais. No caso do prédio do Sistema Fecomércio-RS, a automação tem gerado significativa economia, traduzida em menores impactos ao meio ambiente. Persianas automatizadas, climatização e até mesmo a localização do prédio foram pensadas para otimizar os recursos naturais com o aproveitamento máximo, por exemplo, da iluminação natural, respeitando o biossistema do local. Boa parte da água de chuva é aproveitada: “O lago que temos no terreno, além de embelezar o local, é parte da estratégia de economia de água, pois muito do volume é utilizado para a irrigação externa, um dos momentos em que devolvemos à natureza o que é dela, sem causar novos impactos. Na cisterna, a capacidade de armazenamento é de até 90 mil litros e com os tetos verdes garantimos em torno de cinco graus a menos de temperatura em relação ao ambiente externo nas épocas quentes, o que também nos proporciona economia”, explica o gestor do condomínio Vitor Dossa.

A economia de energia elétrica já chega aos 50% da demanda atual do condomínio, em parte graças à instalação na região de dutos de gás natural, que já beneficiam inclusive outras empresas do entorno. “Tudo isto operando junto e em prol de uma eficiência energética, se traduz numa economia significativa em especial quando falamos de recursos naturais. A pavimentação é outro exemplo em que aplicamos sustentabilidade: ao invés de asfalto, o uso de blocos de concreto intertravado faz toda a diferença quando se fala em acúmulo de água, pois o asfalto comum é impermeável, comprometendo a vazão da água a cada nova chuva”, complementa Laerte Viegas, um dos responsáveis pela obra.

“A instalação da sede do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac no bairro Anchieta foi além do cumprimento das medidas mitigatórias, fez um bem de longo prazo para todos da região”, explica o presidente da entidade, Luiz Carlos Bohn. O cabeamento de fibra ótica, por exemplo, além de deixar o prédio mais leve, garantindo uma maior vida útil, impactou positivamente: “Com esse movimento trouxemos mais vida para a área, com melhorias simples como no sistema de telefonia que beneficia a todos. O fim dos alagamentos, as ciclovias, infraestrutura, demarcação de vias, linhas de ônibus, isso também é pensar em sustentabilidade e em qualidade de vida. Este, com certeza, está se tornando um ponto focal de desenvolvimento na Capital dos gaúchos. Nos orgulhamos de ao lado da Ceasa e do Aeroporto Salgado Filho, sermos impulsionadores do desenvolvimento nessa região”, orgulha-se Bohn.

Ao falar em futuro, Bohn ressalta que “cultura e gastronomia em breve também serão destaques no bairro, muito devido à infraestrutura que já existe como base. Com certeza, no pós-pandemia haverá ainda mais boas novas para essa localidade, com crescimento sem descuidar da natureza”, diz o dirigente.

Os cuidados começaram na construção do prédio com uso de tintas à base de água, pedras in natura, recolhimento adequado de resíduos, controle de óleos e solventes. “As casinhas de dois dos mascotes do complexo, adotados durante as obras, também foram feitas com reaproveitamento de material: A cachorra Pretinha e o filho Lobinho tem suas casas próprias feitas com resíduos da obra, o que permitiu reduzir também o impacto na natureza”, lembra Viegas.

“É um orgulho termos um micro ambiente livre de ações nocivas. A certificação Aqua que estamos buscando é mais que uma certificação formal, é o retrato da nossa preocupação social, do nosso compromisso. O viés social de tudo que fazemos há mais de 70 anos se traduz muito nesse novo espaço, em que estamos podendo concretizar o cuidado com tudo que vive. Um exemplo disso, é a existência do que carinhosamente apelidamos de peixinho azul, das espécies dos Rivulídeos, além de preás, cobras, lagartos e dos pássaros. A presença dos Rivulídeos em um local é um ótimo indicador de que o meio ambiente está em equilíbrio: ele não viveria e nem conseguiria deixar seus ovos aqui se o ambiente estivesse degradado, poluído ou contaminado”, comemora o presidente do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac.

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine