Porto Alegre,
 
        
 
       
Artigos
Assembleia Legislativa
CANOAS
Famurs
FECOMÉRCIO
Governo do Estado
GRAVATAÍ
OAB
SIMERS
SISTEMA OCERGS/SESCOOP
VENÂNCIO AIRES
 



 
  
 
 
30/05/2021

Começa  nesta segunda-feira (31/5) no Rio Grande do Sul o programa de testagem diagnóstica para Covid-19 de caminhoneiros com destino à Argentina e ao Chile. Os motoristas de transporte de cargas que partem do RS ou atravessam o Estado serão testados com o exame de biologia molecular (RT-PCR), a fim de evitar a transmissão do vírus nesses dois países e para portarem comprovante de ingresso como estrangeiros.

“A testagem dos transportadores que atravessam a fronteira é uma ação desenvolvida com participação de várias entidades que buscam sanar entraves sanitários com os outros países. Testar o transportador é oferecer segurança e cuidado com a saúde daqueles que mantêm o abastecimento das nossas necessidades”, disse Loeci Natalina Timm, coordenadora dos Laboratórios Regionais do Estado, do Laboratório Central do Estado (Lacen).

Os testes serão realizados pelo Lacen até a estruturação completa do Laboratório Central de Fronteira (Lafron), em Uruguaiana. As coletas serão feitas nos municípios de Osório, Passo Fundo, Vacaria, São Marcos, Bento Gonçalves, Canoas, Cachoeirinha, São Borja e Uruguaiana, pontos estratégicos das principais rotas rodoviárias federais gaúchas.

Os caminhoneiros serão orientados pela Polícia Rodoviária Federal ao passarem em algum desses municípios a realizar as coletas nos pontos indicados pela gestão municipal (veja abaixo os pontos de coleta) e um estacionamento próprio para o caminhão. Depois de coletar amostras para o exame, com o uso de swab nasal e faríngeo (espécie de cotonete introduzido no nariz e na garganta), o motorista poderá seguir viagem até alcançar a fronteira.

Durante este período, as amostras serão levadas ao Lacen para a testagem, e rodadas com prioridade, para cumprir o prazo de sete dias de validade do resultado. As amostras serão levadas a Porto Alegre pelas coordenadorias regionais de saúde (CRS), que também contam com o apoio da empresa de ônibus Planalto. Os motoristas que apresentarem resultado negativo para a presença do vírus estarão liberados para cruzar a fronteira.

Para aqueles que realizarem a coleta no seu município de residência, os resultados serão divulgados pela Vigilância Epidemiológica do local e, se o teste apresentar detecção do vírus, receberão as orientações padrões do seu município de origem. Os motoristas não residentes do Rio Grande do Sul receberão os resultados do Lafron, e, em caso de positividade para a presença do coronavírus, terão orientações da Vigilância Epidemiológica do município que executou a coleta.

O programa prevê a realização de aproximadamente 500 exames por dia. Para realizar o teste RT-PCR, o caminhoneiro deverá portar um documento chamado Manifesto Internacional de Cargas (MIC) ou outro documento que comprove o seu destino final. Todos os insumos necessários aos testes (swab de coleta nasal e faríngeo, kits de extração de RNA e amplificação) são oferecidos pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLab).

A necessidade de testar os motoristas de caminhão que atravessam as fronteiras é pauta na Secretaria da Saúde (SES) desde meados de 2020, e o programa ganhou corpo no último mês, em conjunto com CGLab, Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Associação Brasileira de Transportadores Internacionais (ABTI), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e municípios parceiros. Se houver necessidade e grande demanda, os municípios também poderão contar com apoio do Exército Brasileiro, que se colocou à disposição a auxiliar na coleta das amostras para o exame.

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine