Porto Alegre,
 
        
 
       
Artigos
Assembleia Legislativa
CANOAS
Famurs
FECOMÉRCIO
Governo do Estado
GRAVATAÍ
OAB
SIMERS
SISTEMA OCERGS/SESCOOP
VENÂNCIO AIRES
 



 
  
 
 
22/01/2021

  Estamos prestes a fechar um ano de novas rotinas impostas pela pandemia do Coronavírus. O confinamento e o distanciamento social impuseram diversas novas formas de vivermos o nosso dia a dia, entre eles o de consumir.

Se por um lado tivemos que aprender novas formas de comprar e de vender produtos ou serviços, também, surgiu novos hábitos, que impulsionados pela pandemia da Covid-19, acelerou ainda mais questionamentos nas pessoas, surgindo uma onda importante que resulta em impacto direto no meio ambiente: o minimalismo.

O consumo é ainda parte relevante do nosso cotidiano, mas muitas pessoas aproveitaram o “novo normal” para repensar a quantidade de roupas, calçados, itens da casa, entre outras coisas que se consumia, muitas vezes por impulso. A análise é da Diretora Técnica da Lógica Assessoria Ambiental Inteligente. Simone Schneider comemora o momento em que as pessoas começam a pensar mais no consumo consciente, uma vez que precisamos todos ajudar na preservação do meio ambiente.

De acordo com Simone, o consumo consciente busca diminuir o nosso impacto sobre o meio ambiente. “Colocá-lo em prática é fácil, precisamos responder seis perguntas simples e refletir. A primeira delas é “Por que comprar?”. Antes de comprar é preciso refletir se o item é realmente importante, qual será sua utilidade e se ele representa uma necessidade real. Em seguida, “O que comprar?”. Atente para as especificações e funcionalidades do produto e evite ser atraído por elementos desnecessários. A Terceira pergunta: “Como comprar?”. De acordo com sua realidade e orçamento, pense sobre a forma de pagamento e a logística da sua compra. À vista ou a prazo? Em loja física ou pela internet? Pode não parecer, mas esses elementos também fazem parte de um consumo consciente”.

A diretora ainda destaca outras três importantes questões, como a pergunta “De quem comprar?”, onde Simone enfatiza a importância de se conhecer bem o fabricante e a origem da matéria-prima. “E, sempre que possível, optar por comprar dos pequenos produtores e empreendedores locais”. Já a quinta pergunta ocorre após a compra: “Como usar?” Como o produto adquirido precisa ter vida longa, é primordial saber como usar, guardar e cuidar bem da sua aquisição. “A última pergunta é: “Como descartar?”. Antes, tente reutilizar o produto ou repassar para alguém que fará bom uso dele. Caso contrário, encaminhe o material para a reciclagem”, explica Simone.





Texto – Adriene Antunes – Jornalista da Oito Comunicação

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine