Porto Alegre,
 
        
 
       
Artigos
Assembleia Legislativa
Canoas
ESPECIAL/ CORONA VÍRUS
Famurs
Garibaldi
Governo do Estado
Gravataí
OAB
Prefeituras
SISTEMA OCERGS/SESCOOP
Venâncio Aires
 



 
  
 
 
03/07/2020

Foi  lançada na região Central do Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (2) a Campanha Máscara Roxa, que permite às mulheres vítimas de violência doméstica fazerem denúncias em farmácias. A atividade, realizada por videoconferência, foi organizada pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres, e contemplou as 33 cidades da Associação dos Municípios da Região Centro do Estado (AMCENTRO).

A reunião foi coordenada pelo deputado estadual Edegar Pretto (PT), que é o coordenador do Comitê Gaúcho ElesPorElas. Ele falou sobre a origem da campanha, lançada oficialmente no último dia 10 de junho, numa parceria com movimentos de mulheres, poderes do Estado e farmácias.

“Neste período de isolamento social devido à pandemia do coronavírus, a violência contra as mulheres aumentou no mundo todo. Por isso a ONU recomendou que seus países constituíssem políticas de enfrentamento envolvendo as farmácias, que são estabelecimentos de serviços essenciais e estão abertas, mesmo em situações de lockdown”, explicou.

Ele acrescentou que a Campanha Máscara Roxa também foi motivada pelo aumento de feminicídios no estado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 16 mulheres foram assassinadas por questões de gênero nos meses de abril e maio. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Ainda há outro fator, que é a subnotificação dos casos de violência. “Muitas vezes as vítimas não conseguem denunciar, porque os agressores monitoram o celular e os passos da mulher, principalmente neste período de isolamento em que convivem mais tempo em casa. A Campanha Máscara Roxa é um facilitador para que se possa fazer denúncias de forma segura em farmácias”, argumentou o deputado.

Adesão e funcionamento da campanha
De acordo com Edegar Pretto, uma semana após o lançamento da Campanha Máscara Roxa, ultrapassou o dobro do número inicial de farmácias com adesão. Ela começou com 600 unidades, e já são 1.314 de quatro redes envolvidas. De abrangência da AMCENTRO, 16 dos 33 municípios já possuem estabelecimentos participantes. Até o momento, farmácias de cinco municípios já receberam denúncias, em Venâncio Aires, Bento Gonçalves, Casca, Pinhal e Capão da Canoa.

O deputado destacou que o objetivo dos lançamentos regionais é envolver cada vez mais o setor privado e a sociedade civil para ampliar a abrangência da campanha. Todas as farmácias com adesão estão com o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, que serve para que as vítimas as identifiquem. Os atendentes estão capacitados para o procedimento e para garantir a segurança da vítima.

Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias.

Edegar Pretto lembrou que qualquer farmácia pode aderir. Segundo ele, o objetivo é envolver também aquelas que não fazem parte de grandes redes, mas que estão em cidades menores. “Não tem custo nenhum à farmácia e a denúncia será repassada à Polícia Civil de forma anônima”, garantiu. Interessados devem entrar em contato com o Comitê: 51 991993641| comite.gaucho.elesporelas@gmail.com

Lançamento regional com várias representações

Juíza do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Porto Alegre, Madgéli Frantz Machado disse que o Poder Judiciário, neste período de pandemia, atuou para ampliar seus canais a fim de dar mais segurança às mulheres em situação de violência. Ela destacou a importância da campanha para ampliar o número de farmácias.

A promotora de Justiça Carla Souto, da Promotoria Especializada de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, comentou que o grande desafio é fazer com que as vítimas de violência tenham coragem e o desprendimento de fazer a denúncia. “A partir da campanha, estamos dizendo que aqui no RS a violência contra a mulher não será tolerada, não será naturalizada”.

Dirigente do Núcleo de Defesa da Mulher da Defensoria Pública do Estado, a defensora Liseane Hartman apontou que a violência doméstica é uma questão de saúde pública e que, neste período de pandemia, teve um aumento considerável de feminicídios. Ela defendeu o envolvimento de todos no enfrentamento a essa realidade. Disse ainda que a Campanha Roxa é importante, porque é mais uma forma que a vítima tem de comunicar as agressões.

Bianca Feijó, diretora do Departamento de Políticas para Mulheres do Estado, disse que representantes de muitos municípios gaúchos têm entrado em contato, pedindo para divulgar em suas cidades a Campanha Máscara Roxa, que caracterizou como uma iniciativa “muito ágil e rápida”.

A delegada Elizabete Shimomura, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher de Santa Maria, informou que o órgão estará atento a todas as demandas que virão por meio da Campanha Máscara Roxa, não apenas no sentido de acolher, mas também de fazer todo o procedimento necessário para que as vítimas fiquem em segurança.

Major Tavares, representando o Comando Regional de Polícia Ostensiva Central, ressaltou que Santa Maria já possui há cinco anos a Patrulha Maria da Penha e que este ano ela também chegou a Santiago. Ele reforçou que a Brigada Militar é parceira do combate à violência doméstica, agora também por meio da Campanha Máscara Roxa. “Vemos com muito bons olhos mais essa ferramenta”.

Representando a Farmácias Associadas, Reni Rubin comentou que a campanha foi muito bem aceita e recepcionada pela rede, que está presente na maioria dos municípios gaúchos. Ele acrescentou que cerca de 80% dos clientes das associadas são mulheres. “Estamos muito felizes de estar participando e de termos agora a adesão de outras farmácias individuais e de outras redes”.

Presidente da AMCENTRO e prefeito de Tupanciretã, Carlos Brum afirmou que há a compreensão da importância do engajamento dos municípios na campanha e que a associação atuará nesse sentido. “Precisamos nos unir neste momento para proteger as mulheres vítimas de agressões”.

A professora Laura Cortez, representando o Fórum de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, de Santa Maria, parabenizou às instituições pela iniciativa. Ela informou na cidade foi lançada, via Fórum, a campanha “Santa Maria 50-50” pela igualdade de gênero, bem como o Disque Covid UFSM, que é mais um canal de comunicação para atender às mulheres vítimas de violência.

A advogada Marina Callegaro, representando o Movimento de Mulheres, argumentou que há uma preocupação constante devido ao aumento do número de violência doméstica neste período de isolamento. Ela ainda parabenizou pelo lançamento da Campanha Máscara Roxa.

A vereadora de Cachoeira do Sul, Telda Assis, representando os poderes legislativos municipais da região, afirmou que há muito tempo é travada a luta pelo fim da violência contra a mulher, através da Sala das Margaridas na Polícia Civil e da Patrulha Maria da Penha na Brigada Militar. Para ela, a Campanha Máscara Roxa vem a somar. “Vamos fazer um empenho para que mais farmácias participem, pois é mais uma iniciativa que nos ajudará nessa empreitada pela vida das mulheres.”

O deputado Valdeci de Oliveira (PT) elogiou a iniciativa do Comitê Gaúcho ElesPorElas, classificando-a “como extraordinária e brilhante”. Ele falou ainda que em Santa Maria há um grande grupo de homens e mulheres que lutam contra qualquer tipo de violência, principalmente a de gênero.

Outros lançamentos regionais
Até o momento, já receberam os lançamentos da Campanha Máscara Roxa as regiões Norte e Centro do estado. Até o final de julho serão feitos outros lançamentos da Campanha Máscara Roxa, contemplando as regiões Celeiro, Sul, Campanha, Planalto Médio, Litoral Norte, Serra, Carbonífera e Metropolitana de Porto Alegre.


Municípios que possuem Farmácias Amigas das Mulheres na região da AMCENTRO

Cachoeira do Sul (Associadas e Rede Vida)
Capão do Cipó (Associadas)
Dona Francisca (Associadas)
Faxinal do Soturno (Associadas)
Jaguari (Associadas)
Mata (Associadas)
Nova Esperança do Sul (Associadas)
Nova Palma (Associadas)
Paraíso do Sul (Associadas)
Restinga Sêca (Rede Vida)
Santa Maria (Associadas)
Santiago (Associadas e Rede Vida)
São José do Polêsine (Rede Vida)
São Sepé (Nicola Farmácia)
São Vicente do Sul (Associadas)
Tupanciretã (Associadas e Rede Vida).

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine