Porto Alegre,
 
        
 
       
Agenda
Artigos
Assembleia Legislativa
Canoas
Famurs
Federasul
Governo do Estado
OAB
Prefeituras
 



 
  
 
 
10/06/2019

Nesta   semana, em meio às comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no dia 5, a Secretaria Municipal da Educação (SME) de Canoas lançou mais uma tarefa da gincana do projeto Escola Sustentável e Criativa, iniciativa patrocinada pelo Banrisul que envolve todas as instituições municipais de ensino da cidade e que tem por objetivo despertar o desejo de aprender e divulgar ações de preservação ambiental. Até outubro, as escolas devem arrecadar tampinhas de plástico e lacres de latinhas de alumínio para a campanha “Junte e Ajude”, da Associação Canoense de Deficientes Físicos (Acadef).

De acordo com a professora Rejane Ledur, coordenadora do projeto, além de uma ação ambiental, a tarefa da gincana também é uma ação social dentro da Escola Sustentável e Criativa. “Essa é uma das principais tarefas da gincana por tudo o que ela representa para as questões de sustentabilidade e de solidariedade. Além disso, ela pode fazer a diferença em termos de pontuação, uma vez que se estende até outubro”, explica Rejane.

Toda a comunidade pode se envolver na campanha, levando até a escola o material arrecadado. Cada garrafa plástica de cinco litros, cheia de tampinhas de plástico, equivale a mil pontos para a escola. O garrafão de 20 litros vale quatro mil pontos. Uma garrafa pet de dois litros com lacres de latinhas de alumínio contabiliza dois mil pontos. Quando a escola tiver um número considerável de material, entrará em contato com a Acadef para realizar o recolhimento. O registro será feito pela própria associação, que passará a pontuação para a SME.

O lançamento da 9ª tarefa da gincana ocorreu de forma simbólica na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Erna Würth e contou com a presença do prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, da vice-prefeita, Gisele Uequed, e da Secretária da Educação, Neka Escobar.

Sobre o Junte e Ajude

Em dois anos, a ação já arrecadou 14 toneladas de recicláveis e a venda dos materiais foram revertidos na compra de mais de mil itens de utensílios de necessidades básicas, como fraldas, assentos d’água, gel pomada, curativos entre outros, distribuídos às pessoas com deficiência em vulnerabilidade social.

O projeto conta com o apoio da comunidade escolar, empresas, estabelecimentos comerciais e pessoas físicas. “Tudo o que fazemos é para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência. Unir isso a um projeto de sustentabilidade é um grande exemplo de cidadania para todos os estudantes do município”, destaca o gestor da Acadef, Ricardo Cardoso.

 
Institucional | Anuncie Aqui | Edições Anteriores | Assine